Desabafo

Você diz que o orgulho me tornará mais forte mas não me fará mais feliz. Talvez eu precise ser mais forte no momento. Eu cansei de deixar o orgulho de lado pra ser feliz e mesmo assim continuar infeliz. Cansei de te chamar e implorar sua atenção e zelo. Tudo o que eu sempre quis foi ter você na minha vida e por isso talvez, eu tenha superestimado e supervalorizado os fatos e acontecimentos. Te dei mais importância do que já dei a qualquer outro garoto e o que você fez? Ignorou. Eu tinha meus conceitos estabelecidos, sobre você, sobre nós, coisa que não posso mais afirmar no momento. Sua inconstância agride minha estabilidade e tira minha paz. Não mereço isso. Por isso, desisto desse jogo, dessa valsa de um só que nunca termina. Um dia você me disse que tinha medo de não encontrar uma pessoa que te amasse tanto quanto a sua ex…você encontrou mas, já que não teve a capacidade de enxergar, possivelmente perdeu.

Chega, fim.

A cada dia que passa parece que os dias se alongam e meu cansaço só aumenta. O ano sem nenhuma conquista, cheio de desilusão, parece não ter fim. 2013 passou e deixou cicatrizes na pele e no coração. A única coisa boa foi talvez as novas amizades, elas sempre fazem a diferença e contribuem para que os anos não tão prósperos passem deixando ao menos alguns bons momentos para serem lembrados. Espero realmente que 2014 seja um ano bom e que traga todas as respostas de que eu preciso neste instante. Que Deus traga nesse ano que está por vir a minha tão sonhada mudança e que ela me faça deixar pra trás completamente tudo o que me faz tão mal e que no momento está tão perto. Chega de 2013, que venha 2014 e traga só coisas boas!

Sentimentalismo da madrugada

Ouvindo Marcelo Camelo, frases bonitas que falam de amor transbordam na minha mente como goteiras em uma casa condenada. Meu coração se infla com as palavras doces que remetem a pessoa amada. A poesia clama pra ser escrita e por um segundo me sinto poetisa. Poetisa essa que prefere muitas vezes falar a escrever, porém quando escreve exterioriza tudo que guarda no fundo do peito e que por algum motivo é incapaz de expressar pela fala. Os sentimentos já não são valorizados como no passado e a sensibilidade é vista como fraqueza no mundo dos fortes com coração de pedra. A fé no amor foi perdida e cada vez mais as pessoas fazem questão de se emanciparem desse sentimento de tolos. Mesmo submersa nesse mar de descrentes, acredito profundamente no amor. Acredito que sem ele a vida perde seu significado e se transforma de um grande sofá vermelho quente em uma pequena almofada cinza triste. Acredito nas diversas formas de amar. Novamente, acredito no amor.